Nós Sabemos O Que Fazer

Dr. Michael LaitmanPergunta: Como podemos disseminar a sabedoria da Cabalá para as massas cujos pontos no coração ainda não despertaram? Como podemos negar a Torá, ou seja, o método de correção da inclinação ao mal?

Resposta: No final da “Introdução ao Livro do Zohar”, o Baal HaSulam escreve que, no fundo, todo mundo tem este ponto, pois após a quebra da alma coletiva, suas partes se misturaram e incluíram-se uma na outra. No entanto, alguns pontos são tão grandes que, quando despertam, começam a atrair a pessoa para o lugar certo, onde ela possa receber a correção e a realização. Enquanto que os outros pontos estão ocultos, e tais pessoas são 99% da população mundial.

Nósdevemos nos dirigir a elas de acordo com seus desejos atuais. Para aqueles que vêm estudar conosco, nós lhes dizemos sobre o desejo de ir direto ao Criador e damos o método de revelá-Lo na conexão mútua com os outros. Quanto aos outros 99%, eles não têm nenhuma relação com isso, nada em comum, em absoluto. Eles não precisam da espiritualidade; eles olham para nós com surpresa total, incapaz de compreender o que nos falta: tem o futebol, a Internet, está tudo bem.

E ainda, eles têm problemas e sentem tristeza. Hoje, o mundo inteiro está afundando em um redemoinho, e não é culpa nossa. Por nós, o Criador não iria incitar as crises, causar catástrofes e colocar a humanidade sob a ameaça de esgotamento dos recursos naturais. Ele faz isso por causa deles.

Nós avançamos sem a necessidade desta crise, uma vez que existe uma força que está nos levando adiante. Mas para eles, deve haver uma força que os empurrará por trás. Esta força é o sofrimento.

Assim, quando nos dirigirmos às massas, devemos lhes oferecer um método de como resolver a crise global em todas as áreas da vida, incluindo a família, a educação, o abuso de drogas, depressão, economia, mudanças climáticas, e assim por diante. Nós possuímos um método que torna possível corrigir tudo o que é ruim, para que possamos nos sentir bem nesta vida, neste mundo.

Nós não dizemos uma palavra sobre o mundo vindouro, já que as pessoas não têm necessidade disso. Se elas ouvissem alguma coisa de nós sobre o lado espiritual da questão, elas nos classificariam como místicos ou loucos. Por isso, precisamos abordá-las de forma adequada: sem mencionar a Cabalá, o Criador e a criatura, a finalidade da criação, e assim por diante.

Nós simplesmente temos de um método, um instrumento que pode corrigir o atual estado ruim, a crise que está consumindo o mundo inteiro. Nós temos algo a lhes oferecer; nós sabemos o que fazer. Ninguém sabe, exceto nós.

Da 4ª parte da Lição Diária de Cabalá 13/05/11, “A Liberdade”

Comente