Uma Estrada Feita de Cruzamentos

Dr. Michael LaitmanNão só temos a oportunidade de ganhar o livre arbítrio, como simplesmente devemos ganhá-lo. Ninguém será capaz de evitar isso, uma vez que todas as forças da natureza empurram-nos e puxam-nos nesse sentido. Você, todos os outros, qualquer pessoa no mundo, todos terão de alcançar seu livre arbítrio de alguma forma.

Dois caminhos estão perante nós: o caminho da Luz (o caminho da Cabalá) e o caminho do sofrimento. A escolha precisa ser feita a cada instante. Não assuma que uma vez que você esteja num cruzamento e escolha virar à direita ou à esquerda, continuará a seguir a estrada.

Eu movimentei-me um metro à frente na mesma estrada e, agora, encaro novamente uma escolha, estando no cruzamento uma vez mais. Fiz a minha escolha, dei um passo nesta estrada, e agora encontro-me ainda num outro ponto de cruzamento, onde tenho novamente de escolher. A cada passo, recebo a liberdade de fazer uma escolha, e os mesmos dois caminhos se abrem à minha frente.

Devo continuar a escolher entre eles, a cada momento, de estado a estado, a cada novo ponto ao longo do qual avanço construindo uma linha a partir deles, um caminho até à minha correcção final (Gmar Tikkun).

A cada novo ponto, tenho de decidir para que direcção devo movimentar-me, e uma vez que um ponto é um círculo, escolho de todos os 360 graus. Contudo, essencialmente, todas estas direcções unificam-se em duas opções possíveis: o caminho da Luz ou o caminho da dor.

Da 1ª Parte da Lição Diária de Cabalá 18/2/11, Escritos do Rabash

Comente