Não Entregue Uma Criança Humana Aos Lobos

Primeiro e principalmente eu tenho que ser grato e “abençoar” o fato de que eu tenho a conexão, que eu não sou isolado da governança superior, não importa o que me pareça agora: bom ou mau. A coisa mais importante é que eu tenho o ponto de união: eu sei sobre a existência da Força Superior, a Natureza. Ela é Boa e faz o Bem. Ela tem uma mente e sentimento como nós o entendemos. Ela nos cria e deseja que nos desenvolvamos. Por meio de toda a humanidade, agora mesmo, ela evoca um desejo dentro de mim para me voltar para ela, e eu tenho que ser grato por essa aspiração mesmo que ela me traga desconforto.

Eu trato minha nova inspiração da mesma forma que todos meus outros desejos: eu quero satisfazê-la tão logo seja possível para receber. Porém, esse vazio só será preenchido se eu operar no modo de doação. Esse é um tipo diferente de desejo: ele aprecia somente quando a abundância vem dele, quando ele faz o bem por alguém mais.

Eu tenho que tratar o desejo espiritual que despertou em mim como uma nova criação. É impossível continuar a vida regular com ele; eu não serei capaz. Por isso eu fui trazido ao grupo, ao professor, e aos estudos; eu fui introduzido ao método Cabalístico e assim eu entenderei que o tempo de trabalhar em uma nova criação chegou.

Além disso, ele irá se desenvolver em uma direção completamente diferente porque esse desejo pertence a uma dimensão que é completamente nova para mim. Isso significa que eu devo tratá-lo de forma diferente desde o começo e não exigir a mesma coisa que eu costumo exigir dos meus desejos usuais.
Eu ainda vivo nos meus desejos prévios, do jeito que eu costumo viver, mas agora eu devoto toda minha atenção e energia para construir um novo broto. Eu estudo a ciência da Cabala para encontrar a oportunidade de realizar esse desejo, de expressá-lo, e revelar satisfação dentro dele. Essa é a essência de toda a sabedoria.

Eu não ajo instintivamente, do modo como fazia até agora. O novo desejo exige de mim um novo “estilo de trabalho”. Por isso eu devo aprender um novo método, desenvolver uma nova abordagem.

Porém, se eu não quero estudar e continuo agindo da velha maneira, não me elevando do nível animado ao nível humano, então eu recebo golpes. Isso é porque minha nova aspiração é completamente não objetivada ou adaptada a minha recepção egoísta. É possível educar uma criança humana pelas leis da selva entre as bestas? Ela não vai crescer como uma pessoa e não irá se elevar do nível animal.

Do mesmo modo, eu tenho que estudar para nutrir apropriadamente essa semente e criar o ambiente correto para ela. Eu tenho que prover umidade, minerais, calor e luz – todas as coisas que são necessárias para seu desenvolvimento.
Esse é o sentido do estudo da ciência da Cabalá: eu estudo como corretamente e da melhor forma elevar meu desejo espiritual.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabala, 13/1/11, Escritos do Rabash

Comente