Uma Superstição Comum

Dr. Michael LaitmanPergunta: O sábios disseram que a Cabalá não pode ser ensinada a alguém que não tenha abandonado a  “idolatria e superstições”. O que eles querem dizer?

Resposta: “Superstição” é pensar que nossa vida depende do acaso e não de uma força superior singular, do “Bom que Faz o Bem”, além da qual não há mais nada. Tudo o resto é considerado como superstição: a fé no governo, a força pessoal, a força da natureza, sorte, demônios e espíritos, ou o que quer que seja, exceto o Criador, Aquele que nos traz somente o Bem.

Assim, a superstição é qualquer condição em que o homem não se vê vivendo em um mundo fechado, mutuamente conectado, um sistema integral, onde a única força que governa é a força do amor e da doação. Se ele não tem essa percepção clara, isso significa que ele não tem fé. Qualquer outro tipo de percepção e falta de desejo de alcançar a fé é chamada de superstição ou acreditar em várias forças estranhas.

No entanto, evidentemente, nós definimos as expectativas de cada pessoa de acordo com seu desenvolvimento, assim como esperamos cada vez mais de uma criança a cada ano, de acordo com sua idade. Portanto, não culpe o leigo por não estar no mundo do Infinito sentindo o Criador. No entanto, cada um tem que encontrar uma maneira de visualizar isso de certa forma, em seu próprio nível, se ele for um ser humano.

Da 4ª parte da Lição Diária de Cabalá 13/12/10, “A Serva que é Herdeira de Sua Senhora “

Comente