Textos arquivados em ''

Onde Está Minha Alma?

No mundo material, todos têm um corpo com suas satisfações. Nós estamos separados uns dos outros por corpos biológicos, e psicologicamente, cada um de nós os percebe como uma personalidade individual.

Na espiritualidade, tudo está em constante mudança indo de um estado a outro, a Luz e a vasilha são sempre diferentes. Nós nos “vestimos” em certo estado e nos chamamos de acordo com ele como trajes para novos papeis. É como se estivéssemos em um filme de ficção científica onde desempenhamos uma variedade de personagens.

Não há algo como a noção de uma “alma privada permanente” que existe de forma autônoma, sobe a escada, e preserva sua individualidade. É duro para nós entender como nosso “self” desaparece. Por exemplo: foi dito no artigo as 600.000 Almas que cada um que corrige sua alma irá descobrir Malchut para o mundo e será chamado Rei David.

Amor E Ódio Das “600 Mil Almas”

Dr. Michael LaitmanAs 600.000 almas são partes de uma única alma criada pelo Criador. Este único ser criado foi dividido em partes que chamamos de “600 mil” almas. No entanto, este número não indica a quantidade, mas sim a qualidade da conexão entre elas.

Quando o Criador dá origem ao desejo de receber prazer, tudo é um todo único; o Criador, o vaso, e a Luz são como um. Mas, neste estado, nem o desejo nem a Luz sentem a separação ou a conexão; eles não sentem se a criatura existe ou não. Há uma completa ausência de qualquer sensação, pois qualquer sensação na criatura só pode ser detectada por meio da oposição entre a criatura em si e o que ela sente.

Para isso, é necessário distinguir entre a Luz e o vaso, e sentir a sua completa oposição e conexão. No entanto, quando o vaso e a Luz se conectam, sua diferença não desaparece, visto que o amor surge acima do ódio.

Ambas as qualidades devem emergir. A distância entre o ódio e o amor, as trevas e a luz (o ódio é revelado como escuridão e o amor como luz), dá à criatura a sensação de sua existência e a compreensão de onde ela existe e com quem ela está conectada. Esta é a razão pela qual o Mundo do Infinito não é suficiente para descrever a criatura e torná-la independente.

Somente depois que a criatura passa por todo o processo de seu desenvolvimento, isto é, que ela começa no primeira fase, desce para a segunda, e depois sobe de volta para a terceira, ela começa a entender do que se tratava a primeira fase. A criatura torna-se independente e semelhante ao Criador. É por isso que é chamada de Adão.

No início (Fase 1), a criatura era apenas uma gota de sêmen. Depois, ela percebe que a quebra ocorreu e corrige. Ao fazer isso, a criatura atinge a perfeição. Ela não é mais considerada uma gota de sêmen, mas sim que tem o poder de 600.000 almas e representa uma alma grande e independente.

“Seiscentos mil” representa seis Sefirot de Zeir Anpin multiplicado por dez Sefirot em cada uma delas e depois por dez mil, o poder da ascensão de Zeir Anpin a Arich Anpin, que rege todas as correções. 60 x 10.000 = 600.000. Assim, a alma comum (o estado final geral e corrigido) é chamada de 600.000 almas.

Da 4ª parte da Lição Diária de Cabalá 26/09/10, “600.000 Almas”