É Difícil Ser Humano

Dr. Michael LaitmanA pessoa tem que escolher entre a verdade e a mentira, mas quando se trata de “doce versus amargo” ela não tem escolha, pois é óbvio que ela sempre escolherá o que é bom e doce em relação ao mal e amargo. Eu não sou capaz de escolher um estado ruim em relação a um bom. No entanto, se eu perceber “verdadeiro versus falso” contra “doce versus amargo”, eu possivelmente escolherei a verdade amarga, uma sensação ruim, porque a verdade é mais importante para mim.

Estas são duas dimensões diferentes: o nível animal faz a análise do “doce versus amargo”, enquanto que o nível humano faz a análise da “verdade versus mentira”, porque a pessoa trabalha na “fé acima da razão”. Se você ascender à simples consideração da “verdade”, que inclui todas as outras forças e possibilidades, isso significa que você alcança a união com o Criador.

Entretanto, se você considerar apenas o “doce ou amargo”, você está fazendo uma análise e escolha animal. O animal nunca comete um erro em seu nível. Ele escolhe sempre o que é bom para ele. No entanto, não progride no “nível humano”. A Natureza não nos permite permanecer no nível animal e nos obrigará a desenvolver.

Nos níveis inanimado, vegetal, e animal da natureza, a análise animal do comportamento resume-se apenas à análise do “doce e amargo”, onde a pessoa prefere o que é doce. Por outro lado, o ser humano faz uma distinção entre dois níveis: o animal nele, que faz a análise do “doce ou amargo”, e o ser humano nele, que faz a análise do “verdadeiro versus falso”. Portanto, a pessoa está sempre em confusão, indo do animal ao humano nela, procurando “o que escolher”. Ela procura um compromisso, porque quer o que é doce, mas percebe que a coisa mais útil é a verdade.

Da 4ª parte da Lição Diária de Cabala 17/08/10, Introdução ao livro, Panim Meirot uMasbirot

Comente