O Mundo Na Luz Refletida

O Zohar, “Capítulo VaEra (E Eu apareci),” Item 6: … cada nível compreende GAR e ZAT, que é ZA, e existe apenas em ZA realização de cada nível, mesmo em ZA de [da] GAR, chamado DAAT . No entanto, ninguém pode alcançar GAR de cada grau, mesmo no GAR do patamar de Assiya.

Percebemos tudo dentro de Malchut. Malchut é chamada de “imagem do Criador.” Hoje não vemos a verdadeira imagem do mundo, mas apenas o que percebemos através dos nossos cinco sentidos (visão, audição, paladar, olfato e tato) que é apresentado no nosso cérebro. Nós recebemos uma impressão a partir da informação que nos foi entregue pelos nossos sentidos,  percebemos a realidade que aparentemente existe a nossa frente formada fundo do nosso cérebro.

O mesmo acontece com Malchut. Baal HaSulam explica na “A Introdução do Livro do Zohar“, que juntamente com Malchut, existem nove primeiros Sefirot, no entanto, Malchut não sabe o que eles são. Ela atinge esses Sefirot depois as inclui dentro de si, percebendo-as como algo que aparece diante dela.

Assim, Malchut descobre os primeiros nove Sefirot na medida em que ela é capaz de agir como eles, de baixo para cima. Quando Malchut se torna como Keter repelindo a Luz Direta para trás e formando a Luz Refletida, a partir de dentro da Luz Refletida, ela atinge o fato de que diante dela estão os primeiros nove Sefirot. Ou seja, o inferior começa a agir fora de si mesmo para fora, e vê o que está acontecendo na Luz Refletida.

O mesmo se aplica a nós neste mundo. Vemos algo que existe diante de nós, de acordo com o nosso ego, dependendo do que é benéfico para nós e que não é. Tudo o que não afeta o nosso ego, que não pode nos beneficiar ou prejudicar – não detectamos.

Isto deriva das raízes espirituais: Malchut percebe os primeiros nove Sefirot apenas na medida da Luz Refletida, que a Luz Direta marca dentro de si . Esta é a imagem que aparece em Malchut como se existisse diante dela. Nada mais existe no que se refere a isso, pois ela não percebe qualquer coisa além.

Se Malchut tivesse o desejo de desfrutar da fase (0) da Raiz, ela não iria detectar diante de si outra coisa senão a fase de raiz. Se Malchut tivesse um maior desejo de desfrutar, ela veria a sua imagem diante de uma ampla realidade. Tudo é determinado pela espessura do nosso desejo (Aviut) e a Luz que reflete. É por isso que nada na Cabala fala do que realmente existe na realidade, pois tudo depende da medida da própria realização.

Da Aula Noturna do Zohar de 28/04/10

Material Relacionado:
Alcançando Os Nomes do Criador
A Realidade Filtrada Pelo Egoísmo
Adquirindo a Percepção Verdadeira do Mundo

http://laitman.com.br/2010/03/alcancando-os-nomes-do-criador/

Comente