Como Entender O Criador

Uma pergunta que recebi: Por que o sistema espiritual é tão complicado: a criatura pede uma coisa e recebe algo totalmente diferente?

Minha Resposta: Em primeiro lugar, isso é incorreto. O Criador e a criatura podem entender-se mutuamente, trabalhando em conjunto, sem discordarem, desde que se tornem parceiros. Então, a criatura recebe o que pede: o Criador sabe de antemão o que a criatura vai pedir, dá a ela tudo o que ela precisa, e não há problema.

O problema só surge quando a criatura não pede de acordo com a ordem dos níveis, o que significa que está pedindo em prol da auto-gratificação. Então, a criatura naturalmente recebe um peso no coração e o sofrimento, para que ela veja que seu estado não é bom e o objetivo é incorreto.

 Portanto, é somente por meio da comunicação incorreta entre a criatura e o Criador, que parece que a criatura e o Criador não se entendem, não faz aquilo que é necessário. Com o objetivo errado, a criatura apresenta numerosas reclamações ao Criador: “Então, onde está tudo o que tenho direito, por que você não me corrige, por que você não está me satisfazendo?”. No entanto, logo que a criatura adquire a conexão com o Criador, ela sabe exatamente que parte da Luz está recebendo, porque, sabe como trabalhar por meio da fé acima da razão, por meio do esforço pessoal, e assim por diante.

O Criador está interessado que nós O conheçamos e caminhemos ao Seu lado. Mas, onde nós estamos em contato com o Criador? Na fé acima da razão. A criatura deseja estar em contato com o Criador abaixo da Machsom, dentro do desejo de receber, mas o Criador lhe diz: “Não, suba até Bina, atinja as qualidades de doação. Lá nós nos entenderemos, lá você não terá problemas comigo!”

Está escrito: “O Criador criou o homem para ser direto, mas as pessoas inventam muitos cálculos”.  Vários cálculos estão dentro do desejo de desfrutar, porque há uma grande quantidade de todos os tipos de desejos. Contudo, se nós cobrirmos todos estes desejos com apenas uma intenção de doar, então já não há muitos numerosos. Há apenas um cálculo, um destino.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabala 25/o5/10, O Zohar

Comente