Tocando a Harpa do Rei Davi

No Zohar, o capítulo “Bahar (No Monte Sinai),” Item 3: À meia-noite, um vento do norte desperta uma chama de fogo que sai da parte inferior do altar, Malchut. Então as portas abrem e o Dinim inferior, Dinim de Nukva, reúnem-se em seus buracos e a chama anda e vagueia, e as portas do Jardim do Eden se abrem. Finalmente, a chama chega e se divide em várias partes no mundo e entra debaixo das asas do galo e grita.

As correções mais especiais são realizadas no estado chamado de “noite”, quando uma pessoa sente a escuridão, a falta de força ou de interesse, quando a espiritualidade não a atrai, está cansada, quer esquecer tudo e dormir, além de estar satisfeita com tudo – em suma – quando essa pessoa não sente a importância da meta espiritual.

O trabalho na “noite” é crucial. Está escrito que o rei David “levantou” a “meia-noite” e tomou para si o “vento norte”, as grandes potências restrição de superar e corrigir o egoísmo (“Gevurot” e “Dinim”). Precisamente usando esses desagradáveis poderes do “norte” ele “tocava harpa” e, desta forma ele recebeu “Dawn”, que é a manifestação da luz na alma.

Durante todo o trabalho na “noite” ele estava se trazendo para o estado onde ele estava transformando os desejos muito (Kelim) nos quais ele sentiu a escuridão, a falta de energia, e a separação do Criador, ele gritou e gritou “em desejos ou” navios “para a Luz que trouxe a “manhã”.

Na espiritualidade, não há dia, noite ou à tarde. Percebe-se toda a realidade dentro do nosso desejo. É por isso que revela a “Luz” em nosso desejo de corrigir o que anteriormente era escuro e vazio. Então a luz da Hassadim brilha, e isso é chamado de “dia.” Quando a luz de Hassadim não pode brilhar, ou seja, não temos a intenção de conceder, ela é chamada de “noite”

Da Lição Noturna do Zohar de 22/04/10

Material Relacionado:
A Noite é a Hora do Trabalho
O Sabor da Morte
Quando a Escuridão Está Cheia de Luz

Comente