A Imensidão Do Nosso Desejo De Desfrutar

Uma pergunta que recebi: Por que nós devemos esperar tanto tempo e sofrer tantas lições negativas que nos machucam, antes de finalmente percebermos qual o caminho correto?

Minha resposta: Nós não esperamos! Nós evoluimos a cada instante, passo a passo. Mas o nosso ego, o nosso desejo de desfrutar, é simplesmente infinito. Sua profundidade é enorme: uma criatura enorme. Imagine a si mesmo como o nosso Universo infinito; bem, o desejo humano é bilhões de vezes maior que todo o universo.

Agora, nós precisamos começar a nossa correção. E o meu desejo de desfrutar contém milhares de qualidades nas quais eu preciso sentir golpes, de modo a reagir com um “Ai!”. Então, serão necessários mais mil golpes que me façam andar: “Ui!”. Isso não é brincadeira; toda a nossa vida passa exatamente assim. Finalmente, eu ainda precisarei de mais mil golpes para decidir sobre mim mesmo: “É isso aí, eu não agüento mais! Algo deve ser feito”.

Cada qualidade é composta de quatro níveis (Aleph, Bet, Gimel, Dalet). Até atingirmos o nível final (quarto nível) continuaremos recebendo golpes e sofreremos sem pararmos para pensar sobre a nossa situação. É como se eu sentisse dor numa parte do meu corpo e depois outra; eu a suporto e digo a mim mesmo que não é grande coisa, até que finalmente percebo que algo deve ser feito. O mesmo princípio se aplica aqui. Mas é exatamente assim que deve ser, porque nós somos feitos de um material complexo, com várias camadas, que se desenvolve a partir de um ponto. Não há escolha nessa questão.

Somente no fim da correção é que tudo o que passamos se fundirá e produzirá a perfeição da realização, da satisfação e da compreensão .

Da terceira parte da Lição Diária da Cabalá 29/04/10, A Entrega da Torá

Um Comentário

  1. “SOFRIMENTO É SÓ UMA PALAVRA”. As pessoas e a humanidade a transformaram em um conceito.
    A realidade, é diferente, é tão simples, que não somos capazes de entendê-la.
    Temos uma formação tal, que nossa evolução acontece, independentemente de nossa “Ação”.
    Mas se agirmos essa evolução dará saltos, inimagináveis.
    Há aqueles, que pregam, que dizem ser possível partilhar da verdadeira “luz” , que formam conceitos vários, para justificar e fazer “crer”, que por detraz de um complexo mas possível esquema, se chega ao plano do alto.
    Há aqueles que simplesmente, chegam lá, e convidam.
    Em quem você vai CRER?
    Na simplicidade que você não aceita.
    Ou na complexidade, que você julga ser possível decifrar, pois, se alguém já decifrou. Então vamos todos por ai, “isso é sofrer” é escolher o caminho errado.
    Enquanto isso a simplicidade lhe espera, quando você se exaurir, só sobrará tempo para ela a “simplicidade”, e ai você desperta.
    Vilson

Comente