Revelando A Luz Do Infinito Entre Nós

Depende somente da nossa conexão para que uma pessoa seja preenchida pela luz. É por esta razão que, antes de começar a ler o Zohar, devemos imaginar os nossos pontos de conexão no coração da nossa vontade de unir em uma só alma e fundir-se com o Criador, o Uno. E ao fazê-lo, então a única coisa restante será: Ele e seu nome como um todo. Nós não vemos corpos físicos, apenas a aspiração individual para o seu Criador que nos une em um único desejo. Se fôssemos nos unir desta forma, teríamos que descobrir a Luz do Mundo do Infinito entre nós.

Quanto mais juntos nos reunimos no nosso contexto, mais evoluimos no mundo espiritual. Isso ocorre porque não existe superior ou inferior lá. Estas palavras representam apenas nossa atitude para com o valor da doação.

Precisamos agora descobrir que tudo acontece no presente em um  desejo comum e que não há nada mais que isso. A única coisa que existe é Malchut do Mundo do Infinito, que divide os mundos, Sefirot, Partzufim e estados diferentes. Mas todas estas coisas estão localizadas no mesmo lugar, no mesmo desejo.  O Zohar se preocupa apenas como revelar essa vontade, quando queremos ligar a ela e imaginar o que acontece dentro dela.

Conectando-se com os desejos dos outros não significa que eu estou conectado a essas pessoas com as cordas de ligação. Pelo contrário, eu incorporo e abraço estes desejos como os meus, e eu  então me torno o Malchut do Mundo do Infinito.

É como uma mãe que recebe os desejos de seu filho enquanto ele está fisicamente dentro dela até que ele nasça. Esta percepção dos desejos dos seus vizinhos como os seus próprios, onde internamente não fazem distinção entre o seu e o dele é chamado de “Amar o seu próximo como a si mesmo.”

Comente