Quando Os Malvados São Libertados

clip_image001O Zohar, Capitulo “Miketz,” Item 85: Sempre que se decreta um juízo sobre Israel, e se diz, “fardo”, é aparentemente um fardo para o Criador punir Israel. Este é um fardo de ambos os lados, como se Ele estivesse sobrecarregado quando Ele os pune ou não os pune. Se Ele não os pune, eles irão permanecer na imundice do pecado. E se Ele os pune, Ele está aparentemente a sofrer pela aflição de Israel. É por isso que é mau quando se escreve, “fardo”, a respeito deles.

É impossível fazer progresso espiritual sem revelar o desejo de desfrutar. O nosso desejo de sermos preenchidos com prazer é infinito, mas ele está oculto dentro de nós. Quando este desejo se revela gradualmente na sua forma por corrigir, começamos a experimentar os nossos problemas. O nosso coração torna-se pesado e o nosso avanço torna-se ainda mais difícil. Contudo o processo que atravessamos é inevitável, pois a nossa correcção ocorre sobre o nosso desejo de desfrutar. Desta forma, ele deve ser revelado desta maneira.

A revelação dos nossos desejos por corrigir é um sinal que estamos prontos a ser corrigidos. É por isto que novas camadas do desejo de desfrutar por corrigir são reveladas, permitindo-nos a trabalhar sobre elas. Por esta razão, devemos apreciar tanto o bom como o mau.

Não há tal coisa como “mau”, mas apenas o que é chamado a “Revelação do Mal”. Quando o que estava anteriormente ocultado a nós se torna revelado a nós na forma de desejos “cruéis” (egoístas), o processo da correcção torna-se possível.

Comente