O Mundo Ao Nosso Redor É Uma Grande Ilusão

Cada alma está conectada ao Mundo da Infinidade por uma corrente ou escada de degraus que gradualmente enfraquecem a Luz e os Kelim (vasos). Eu desperto esse sistema no momento que estabeleço uma conexão com a Infinidade. Na verdade, esse sistema inteiro está dentro de mim; só parece que é exterior mim.

Existem duas coisas no universo: o homem e o Criador. O homem tem que sentir que ele existe fora do Criador para entender o significado de “ser separado do Criador”. Ele tem que aprender quão oposto ele é a Ele o que é estar perto ou longe d’Ele, para então ser capaz de experimentar a adesão a Ele.

Por isso eu fui deliberadamente criado com a percepção da realidade que está dividida entre o que está dentro e o que está fora de mim. Isso faz com que seja mais fácil para mim entender o que é o Criador e o que sou eu mesmo, o que é a quebra e a adesão, o que é um estado de inconsciência (ocultação) como oposição a um estado de estar próximo a Ele e se fundir com Ele como uma só coisa.

O Criador joga fora tudo que eu sinto dentro de mim, e como resultado, minha percepção está dividida em duas partes: interna (que é tudo que recebo), e externa (tudo que eu dou, mas sem a intenção de corrigir).

O mundo externo são meus Kelim que são propositalmente retratados para mim como estranhos para que eu entenda o que significa doação. Se eu começo a me relacionar com eles como duas partes de mim, então eu entenderei quão distante eu estou da doação, e quão oposto e indesejável isso é para mim. Então, verei que amar o meu próximo como a mim mesmo não é tão simples; de fato, eu não posso fazer isso. E isso quer dizer que eu não posso doar ou chegar perto do Criador.

“Mas, espera aí”, você está pensando: “Eu quero estar perto do Criador!” Bem, se você deseja isso, então você precisa demonstrar, e a doação é o único meio para fazer isso.

Comente