A Parede é o Único Local Onde Podemos Encontrar a Porta

clip_image001O Zohar, Capitulo “Venha Ao Faraó”, Item 41: Este crocodilo monstruoso entra na fonte (Keter) do Rio Nilo e gradualmente fortalece-se nela. Ele nada e entra no mar, Malchut de Atzilut, onde engole várias espécies de peixe, que são os graus dentro do mar que lhe são inferiores. Ele governa sobre eles e engole-os. Eles são completados dentro dele, e ele volta ao Nilo imóvel.

É tão difícil para nós imaginarmos isto dentro de nós! Onde está o desejo chamado “Nilo”, e onde está o “crocodilo” dentro de mim – onde está tudo isto? Nós não sabemos o que pensar destas qualidades e que quadro imaginar quando lemos sobre as dez Sefirot, os dez rios (um dos quais é Keter, e os outros estão abaixo dele), e todos os tipos de monstros…

Todavia, não importa se não conseguimos tocá-los. É até melhor que não pintemos qualquer quadro do Zohar. É melhor do que se tentássemos imaginar algo que já conhecemos, coisas das quais já temos certa concepção. Quando lemos sobre Moisés, a Arca da Aliança, o Templo, Faraó, ovelhas, vacas, e tudo mais, nós não sabemos o que tudo isso é na verdade, e então só imaginamos qualidades.

Todos estes nomes não são importantes, dado que há qualidades espirituais das quais não temos qualquer entendimento. Estamos a tentar aprender alguma coisa que é impossível reconhecer!

Então, nós precisamos compreender que os nossos esforços nunca serão bem sucedidos. Nós não devemos ter quaisquer ilusões acerca disto. Em vez disso, o nosso sucesso virá quando nos depararmos com uma parede intransponível e compreendermos que não sabemos o que significam as qualidades espirituais, mesmo depois de todos os esforços que fizermos para revelá-las.

Quando nós completarmos a medida necessária de esforço (chamada “Se’a”), a nossa taça transbordará e o mundo espiritual será revelado a nós, de acordo com a regra “Eu trabalhei e encontrei” (Higati ve Matzati).

Comente