A Alavanca da Transformação

controlPor que eu sinto alguns Kelim como internos (eu, Galgalta Eynaim) e outros como externos (todo o universo excepto eu, AHP)? É porque eu não tenho uma tela nos Kelim externos de AHP, e, portanto, eu não posso corrigir esses níveis de desejo.

Eu posso construir uma tela com a intenção de doar sobre “a raiz, alma e corpo”, ou seja, Galgalta Eynaim. Então eu vou sentir esses Kelim como meus, já que eles são os verdadeiros Kelim de doação. Mas, com os Kelim de recepção, eu só posso alcançar o amor e a doação incompletos.

Conseqüentemente, o resultado da segunda restrição é a ascenção de Malchut à Bina. Até Bina eu sou preenchido pelos Kelim do Criador, e, por isso, tudo se reúne lá: a raiz, a alma e o corpo. Eu sinto que existo lá porque posso ser revestido por Bina. Caso contrário, eu nem sequer sentiria que existo.

No entanto, sempre que Bina não consegue revestir “as vestimentas e os palácios” (AHP), é o meu ego que reina lá. Isso explica a minha atitude egoísta em relação ao mundo e o ódio que existe entre as pessoas.

Ao compreender como funciona este sistema, a pessoa adquire um instrumento, uma alavanca que permite que ela mude.

Comente